Visualizações de página na última semana

sábado, 2 de setembro de 2006

Os Cruzeiros o Pelourinho as Igrejas, as Capelas e o Convento dos Frades


CRUZEIRO DO SR. DO LORETO

PELOURINHO DE TRANCOSO
É um monumento manuelino, contemporâneo do foral novo. É um dos mais belos pelourinhos da Beira Alta. Considerado Monumento Nacional por Decreto de 16 de Junho de 1910.



CRUZEIRO DO SENHOR DA BOA MORTE
Cruzeiro coberto com abóbada,foi mandado cobrir em 1729 pelo Padre Matias Álvares, ajudado pelo povo. O crucifixo é em granito.

IGREJA DA MISERICÓRDIA
Foi construída em 1747 e 1792 e tem a porta principal encimada pelo escudo real. Tem altar-mor em estilo filipino, talvez o único exemplar em Portugal, a antiga misericórdia possuía neste local um oratório com duas portas grandes, uma casa de despacho e uma sacristia.



IGREJA DE SANTA MARIA
Ou matriz, tem estilo românico e pertenceu outrora à colegiada de Guimarães. È anterior à nacionalidade e, por ser antiga, foi demolida e reconstruída em 1784-1788.



IGREJA SÃO PEDRO
Em estilo românico, pertenceu ao Padroado Real no séc. XVI. Na porta principal, entre esta e a janela da fachada, encontra-se o brasão, duas chaves cruzadas sobrepujadas por uma tiara, simbolizando São Pedro, o orago. Na parede sul encontra-se o mausoléu mandado erigir em 1641, túmulo do sapateiro e Profeta Bandarra. Restaurada entre 1720 e 1728, tem fachada de cantaria com pórtico singelo e frontão de volutas. No interior são dignos de nota os altares barrocos, com uma imagem da Pietá.

Túmulo do Profeta BANDARRA, encontra-se no interior da Igreja de São Pedro.
















CAPELA DE SANTA EUFÊMEA
Monumento setecentista. Foi contruída em 1776 por um dos frades franciscanos do Convento, sendo as obras custeadas por esmolas dadas pela população.

CAPELA DE SANTA LUZIA
Data do século XII, em estilo românico de transição para ogival, com arco cruzeiro. Foi reconstruída na década de oitenta. Classificada Imovel de Interesse Público em Abril de 1953.


CAPELA DE SÃO BARTOLOMEU
Reconstruida em 1778 . Aqui se realizou o casamento real de D. Dinis e Isabel de Aragão. O frontão é belo e tem na parede Sul uma lápide de azulejos, evocativa do casamento real.

CAPELA DO SR. DA CALÇADA
Situada próximo das Portas de São João, e junto ao Cruzeiro do Sr. do Loreto. Data de 1770, em barroco simples. A tradição diz que ao Cristo desta capela lhe crescem as barbas e os pés.


A CAPELA de SÃO MARCOS
Está situada no planalto com o mesmo nome e evoca duas batalhas que ali se travaram, uma contra os mouros no tempo de Dom Afonso Henriques e outra contra os castelhanos em 1385. Não se sabe a data da sua fundação, mas já existia antes de 1385. O seu estilo primitivo devia ser romano ou romano-gótico. Foi reconstruída em 1784 e em 1887.

O CONVENTO DOS FRADES
Resulta da igreja do desaparecido convento de padres franciscanos. A porta lateral que olha a vila é em estilo renascentista, em colunas toscadas, caneladas encimadas por esferas. Sobre esta porta há um nicho no qual existiu a imagem de Santa clara. Esta igreja foi objecto de restauro, sendo picada a cal que revestia as paredes.





3 comentários:

Jaime disse...

Caro Senhor

Há vários anos numa viagem de férias que fiz com o meu pai ao concelho de Trancoso, lembro-me de ter assistido a um episódio assaz invulgar, na aldeia de Torres.

Enquanto o meu pai tentava reparar o automóvel em que viajávamos, fui dar uma volta pela aldeia, e fui parar a uma igreja onde parte da população se dedicava a levantar o lajedo do pavimento, enquanto outra com picaretas e pás cavava o solo de forma a baixar o seu nível.

Embora tivesse pouca idade, fiquei boquiaberto com aquela azáfama colectiva, pois algumas dezenas de homens e mulheres depois de terem removido pelo menos um metro de altura de terra, em toda a superfície do espaço interior da igreja, para uniformizarem o terreno onde iriam recolocar o lajedo, muniram-se de maços de madeira de calceteiros e sem qualquer pudor iam destruindo os esqueletos das antigas supulturas que aí existiam, certamente há vários séculos.

Ainda me recordo dos risos macabros daquela gente quando partiam mais um crânio !
Sei que já tinham desmontado os altares, quatro ao todo - o principal e três laterais, cuja talha então se podia ver amontoada num estábulo vizinho do templo. O mesmo fizeram ao púlpito, uma colossal mísula esculpida em madeira de carvalho, e á varanda do coro e respectiva escadaria de acesso. As únicas coisas que ainda lá devem estar é a pia baptismal em granito de grandes dimensões, e talvez alguma pia de água-benta.

Pelo seu aspecto exterior penso que o edifício devia ser de estilo tardo-românico ou gótico, e as fotografias que destaca no seu blog de um templo desse género fazem-me lembrar o que visitei nessa tarde.

Simplesmente por curiosidade já tentei indagar o nome dessa igreja, junto de entidades locais mas tem sido impossível, a Junta nem sequer tem telefone, sei que as obras que a população realizava na altura se deviam ao facto de que a igreja seria transformada num centro social de apoio aos emigrantes locais (?).

Gostava de possuir algumas fotografias dessa igreja, quer fossem actuais, quer fossem antigas.

Aguardando resposta sua, os meus parabéns pelo bom trabalho em prol do património local que as suas páginas nos apresentam, e aceite os meus cumprimentos.

Jaime disse...

Caro Senhor

Como já passaram alguns anos, não estou certo se a aldeia era Torres ou se era Frechão !?

Como não recebi qualquer resposta interrogo-me se este blog está activo ?

Com consideração.

Jaime disse...

Bom o senhor não deve ter o hábito de responder aos seguidores do seu blog, mas como já sei o nome da igreja, Capela (Ermida) de Santo Amaro em Frechão, achei que seria importante para as pessoas do concelho em particular e aos cidadãos do país em geral ficarem a conhecer o local onde foi praticado um atentado ao património histórico de Trancoso.

Se tiver algumas fotografias do templo agradecia que as publicasse ou mas cedesse. Os meus agradecimentos pela atenção.